Heloisa Micaele em seu intercâmbio no Chile | Foto: Heloisa Michaele
Heloisa Micaele em seu intercâmbio no Chile | Foto: Heloisa Michaele
Participante do programa Ganhe o Mundo, do governo de Pernambuco, a jovem universitária Heloisa Micaele conta como o intercâmbio mudou sua vida.

Heloisa Micaele tem 21 anos e foi criada no sertão da Paraíba. Aos 11, foi estudar em Santa Terezinha, no sertão de Pernambuco, bem na divisa entre os dois estados. “Na cidade onde eu morava não tinha acesso a um ensino de qualidade, então precisei me mudar”, ela explica.

No primeiro ano do ensino médio, Heloisa conheceu o programa Ganhe o Mundo, criado em 2011 e instituído como política pública do governo de Pernambuco. Através do Ganhe o Mundo, a Secretaria de Educação de Pernambuco disponibiliza a estudantes do ensino médio da rede pública a oportunidade de fazer um intercâmbio internacional.

Heloisa fez a prova de espanhol, exigida pelo processo seletivo do programa, e ganhou uma bolsa para estudar no Chile por seis meses. “Foi muito bacana. Fiquei na região de Santiago, na comuna de Pirque, pertinho da Cordilheira dos Andes. Convivi com uma família anfitriã que me acolheu como filha e isso fez com que eu tivesse mais desenvoltura no país, facilitando minha adaptação a cultura chilena. Estudei em uma escola particular de qualidade, em um outro idioma, uma realidade que para mim era bem distante. O choque foi grande porque eu não tinha uma base muito boa, então tive que correr atrás. Eu fui representando o estado de Pernambuco e fiz com que o meu tempo ali valesse a pena. O governo de Pernambuco financiou todo o programa – nos deu malas, um notebook, tivemos um suporte excepcional”, ela conta.

Ao retornar ao Brasil, “mais patriota do que eu era antes de ir”, Heloisa deu aulas de espanhol em um curso de idiomas no sertão da Paraíba. “Três alunos meus foram aprovados no programa Ganhe o Mundo, dois para o Chile e um para a Argentina”.

Heloisa Micaele em seu intercâmbio no Chile | Foto: Heloisa Micaele
Heloisa Micaele em seu intercâmbio no Chile | Foto: Heloisa Micaele

O Ganhe o Mundo ainda existe e as inscrições para 2019 estão abertas para quem é aluno do ensino médio na rede pública de Pernambuco. 700 vagas de língua inglesa (sendo 450 para o Canadá, 150 para os Estados Unidos da América, 50 para a Nova Zelândia, 50 para a Austrália), 295 de língua espanhola (100 para a Argentina, 150 para o Chile, 25 para a Espanha e 20 para o Colômbia), e 5 vagas para a Alemanha estão sendo disponibilizadas.

Heloisa explica que o intercâmbio representou uma quebra de barreiras. “Até então eu não tinha tido acesso a nada disso, a oportunidade agregou muito valor à minha vida. Eu tinha um desejo grande de estudar no exterior e conhecer outras culturas. Não era só uma questão de passar um tempo fora do Brasil. Para mim o esforço foi grande, eu nunca tinha viajado, menos ainda passado um tempo fora estudando em um outro idioma. A cultura chilena me impactou muito. A maneira como as pessoas se relacionam é bem diferente, parece mais respeitosa, mais cerimoniosa”.

A jovem atualmente está no penúltimo ano da graduação em Relações Internacionais na Universidade Estadual da Paraíba, o 6º curso mais importante nessa área no Brasil. Durante o intercâmbio, percebeu uma grande influência dos Estados Unidos na política interna chilena e passou a se interessar bastante pelo tema. “Então, quando voltei e comecei a faculdade, comecei a buscar mais informações a respeito, fui aprovada em alguns projetos de pesquisa e estou trabalhando o assunto em meu TCC – trabalho de conclusão de curso. Mais uma vez, minha experiência chilena veio somar à minha formação”.

Positivamente inquieta, ela continuou buscando oportunidades para continuar aprendendo novos idiomas e culturas. “No 3º período, consegui uma vaga no núcleo de línguas da universidade que oferece cursos de inglês e francês gratuitamente. Me inscrevi nos dois. Ainda tenho que intensificar meus estudos para não perder mais oportunidades”.

Heloisa Micaele em Washington | intercâmbio | Foto: Heloisa Micaele
Heloisa Micaele em Washington | intercâmbio | Foto: Heloisa Micaele

A graduação também abriu a possibilidade de Heloisa conhecer outros países. “No início do programa fui para o Paraguai, junto com outros estudantes, para participar do Fórum Universitário Mercosul, o FoMerco. Também conheci a cidade de Washington, nos Estados Unidos, onde participei de um evento de simulação da Corte Interamericana de Direitos Humanos na American University, uma das mais conhecidas área de Direito.

É importante você fazer um intercâmbio, principalmente porque a experiência vai te dar novas visões do mundo. Além disso, você volta com uma bagagem grande de habilidades e ferramentas que acrescentam muito para o desenvolvimento do Brasil e da sua comunidade”.

No ano que vem a Heloisa se forma. Pretende fazer uma especialização em Direito Internacional em Recife, onde seus tios moram, e buscar um emprego em sua área. Quando seu inglês e francês estiverem bem polidos, ela quer fazer o Instituto Rio Branco, a escola diplomática do Brasil.

Essa moça vai longe, não tenho a menor dúvida!

Andrea Tissenbaum, a Tissen, escreve sobre estudar fora e a experiência internacional. Também oferece assessoria em educação e carreiras internacionais.
Entre em contato: tissen@uol.com.br

Siga o Blog da Tissen no FacebookTwitter Instagram. 

 

 

Compartilhe

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here