Compartilhe
Aprendendo inglês | Foto: Erin, via Flickr
Aprendendo inglês | Foto: Erin, via Flickr
Confira este divertido conjunto de insultos “elegantes” selecionados pela Babbel e amplie seu vocabulário em inglês. Alguns são do tempo de Shakespeare!

Embora muitos professores de língua estrangeira optem por não ensinar insultos a seus estudantes, a fluência em um idioma também passa pelo aprendizado dessas palavras. Entender e praticar diálogos e expressões do dia a dia é fundamental, amplia o vocabulário.

A Babbel, selecionou um conjunto de insultos “elegantes” para você enriquecer seu inglês. Alguns são dos tempos de Shakespeare, um prolífico insultador. Outros, menos óbvios, são bem modernos. Todos podem ser usados em momentos de conflito sem perder a classe.

1. Obnoxious
Esta palavra não aparece com tanta frequência em conversas cotidianas, mas também não é exatamente uma raridade. Seu forte está na pronúncia elaborada. Significa algo ou alguém extremamente desagradável. Em português tem um adjetivo semelhante e também bastante exótico: “histriônico”. A palavra tem origem no fim do século XVI, quando seu sentido era diferente: “vulnerável a danos”. O significado atual remonta ao fim do século XVII.

Então, quando você estiver com alguém insuportável, pode dizer sem medo de errar: You are so obnoxious!

2. Quisquilian
Com origem em meados do século XVII, essa palavra é raríssima – além de ser brutal. Ao usá-la, você vai chamar alguém de inútil, imprestável, insignificante.

Um bom exemplo de seu uso em uma frase é: You couldn’t be more quisquilian!

3. Flagitious
Esse termo do inglês arcaico (período entre 1150 e 1470) é ideal para fazer referência a indivíduos com atitudes e perfis vilanescos, criminosos e perversos.

Exemplo: Your flagitious behaviour disgusts me.

4. Lickspittle
A escolha perfeita para chamar um puxa-saco de puxa-saco sem chamá-lo de puxa-saco. Refere-se a alguém ansioso para agradar ou obedecer outra pessoa em posição de autoridade.
Em uma frase, é possível ampliar seu teor ofensivo ao acrescentar algum adjetivo depreciativo antes dela.

Exemplo: You are such an obsequious lickspittle!

5. Weasel
Essa palavra é adequada para descrever as “falsianes”. Refere-se a uma pessoa falsa, traiçoeira, desleal. Em português, “cobra” é a expressão (e o animal) que usamos para definir pessoas traiçoeiras ou falsas. Já em inglês, costuma-se associar pessoas sorrateiras ou traiçoeiras à doninha, weasel.

Exemplo: You are a despicable weasel.

6. Ninnyhammer (também ninnyhommer, niniamer)
Se você conseguir pronunciar essa palavra no meio de uma discussão, parabéns! Ela quer dizer que alguém é estúpido ou tolo. A versão simplificada ninny é mais comum. Seu uso foi registrado pela primeira vez no fim do século XVI.

Exemplo: You turned out to be an arrogant ninny.

7. Blatherskite
Uma pessoa que fala demais, mas sem fazer muito sentido do que diz. Pode se referir também a uma conversa tola. Registrada no século XVII, é uma junção de blather (uma fala longa e sem sentido) + skite (alguém que se gaba) – um termo depreciativo escocês.

Exemplo: You are such a curmudgeonly blatherskite.

8. Ignoramus
A composição já indica o significado: uma pessoa ignorante ou estúpida. Vem do fim do século XVI, com uso em termos jurídicos. A raiz latina significa literalmente “não sabemos”.

Exemplo: You self-centred ignoramus.

9. Sluggard
Do inglês arcaico, significa um indivíduo preguiçoso, sem energia. Não é tão raro ver essa palavra em textos, mas em conversas o termo lazy é muito mais utilizado. Então, aproveite para mostrar a sua criatividade e acrescente outros adjetivos antes de sluggard para enfatizar o sentido depreciativo da palavra.

Exemplo: You drunken sluggard!

10. Nincompoop
Refere-se a alguém estúpido. Origem registrada no fim do século XVII.

Exemplo: You are an ill-prepared egotistical nincompoop.

Sobre a Babbel
Babbel é o aplicativo de idiomas mais bem-sucedido do mundo. A empresa foi criada há 10 anos na capital da Alemanha e conta com milhões de usuários. Atualmente, oferece cursos de 14 idiomas: inglês, alemão, dinamarquês, espanhol, francês, holandês, indonésio, italiano, norueguês, polonês, russo, sueco, turco e português brasileiro. Seiscentos profissionais de 50 nacionalidades trabalham na sede, em Berlim, e no escritório de Nova Iorque. A equipe didática da Babbel conta com mais de 150 linguistas, educadores e especialistas que criam e atualizam continuamente o conteúdo das lições. Em 2016, a Babbel foi considerada a empresa de educação mais inovadora do mundo.

Andrea Tissenbaum, a Tissen, escreve sobre estudar fora e a experiência internacional. Também oferece assessoria em educação e carreiras internacionais
Entre em contato: tissen@uol.com.br

Siga o Blog da Tissen no InstagramFacebook e Twitter.

Fonte: Babbel

Compartilhe

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA